terça-feira, 5 de junho de 2012

Ruelas Entorpecidas


Eu me preocupei em fazer o melhor
Subjuguei sua força com minha fraqueza
Fechando meus olhos para te enxergar
Fui virando apenas uma parte de você
Aquela parte que te sufocava...

Em noites solitárias eu chorei
Com lágrimas quentes que caiam
No caminho das palavras me fiz teu
Mas foi pela fala que fui rebaixado
E nada mais sou do que um mero passado

Tudo que eu pudesse suportar
Seria pouco para o que eu merecia
Por ter largado meu futuro em suas mãos
Mãos que nunca foram firmes o bastante

Não tenho o luxo de cativar inocência
Preciso ser safo para ganhar respeito
E eu nem consigo entender o porquê
De ter escolhido você para me acompanhar
Seria tão mais simples sem sua existência...

Sou aquilo que chamamos de fraqueza
Caminhando pela estrada do arrependimento
Se perdendo pelas ruelas entorpecidas
E se achando na ressaca de uma reflexão.


terça-feira, 24 de janeiro de 2012

LENÇOL



Você sabe o que é mais estranho?
Não consigo esquecer os seus olhos
Em flashes repentinos de memória
Lembro dos sonhos que tive em sua cama
Quando você dizia estar tudo bem
E tudo parecia ficar mais seguro

Eu amei cada segundo de frio que passei
Ao tentar te aquecer com meu lençol pequeno
Sempre me deixei levar pelo seu sorriso
Até mesmo quando ele não era sincero
Isso parecia ser apenas meu amor por você

Fui além dos meus poderes para entender
Os motivos de você ter ido embora
Nunca saberei me livrar dessa culpa
Nem mesmo conseguirei superar o que houve

Seria demais te pedir uma trégua?
Ou tentar não me fazer chorar novamente?
Existem passados que devemos esquecer
Então me deixe partir para sempre
Seremos estranhos em alguns meses
E este será o meu presente para você...

Eu amei cada segundo de frio que passei
Na tentativa de te fazer aquecer com o meu amor.

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

OLHOS PERDIDOS




Bem distante de qualquer domínio,
Vejo seus olhos perdidos pela rua,
Vagando em um confuso desespero,
Contando os minutos para esquecer,
Aquilo que era apenas sentimento...

Não confunda a falta com a necessidade,
A sensação de vazio apenas aumentará,
Desista da ilusão de um sexo prematuro,
Pois o que sentes é apenas saudade...

Tente superar o seu orgulho teimoso,
Dê o braço a torcer algumas vezes,
Não se esconda do que você mais ama,
Viva seus sentimentos antes que acabem...

Toda decisão tem um grande risco,
Não se esqueça de medir as conseqüências,
Um ponto final pode ser realmente o fim,
Mas haveria tempo para uma nova frase.

Eu sempre tentarei manter meu coração aquecido!

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

COM UM BEIJO



Gostaria de sentir você comigo agora
O tempo passa e eu não esqueço
Que ao seu lado pude ser eu mesmo
Como em uma nudez pura
Sob olhos de casta lembrança

Pecados são aqueles não ditos
Pois o que vejo são prisões
Falta de vontade de ser natural

Aos poucos vejo você mais distante
Este jogo parece consumir meu sangue

Sinto falta do meu particular
Pois não consigo sentir a realidade
Já que a mim só restam mentiras
Uma falsidade controvertida
Uma luz desperdiçada de manhã

Aquele brilho no olhar parecia algo
Será que o amor consegue ser bifurco?
A lucidez não me ensinou a fingir
Apesar da minha falta de vergonha
Fiz de tudo para ficar estático
 Mas o que seria do amor sem a entrega?
Apenas um conceito autodestrutivo

A melódica discordância dos sentidos
E o repúdio da carne ao pensar em você
Entrelaçado por meio a pernas estranhas
Desistiria deste plano ao acaso
Mas agora há mais cartas na mesa
Imponho-me a retroagir sobre o ciúme
Pois é devagar que se consegue a calma

Precisavamos conversar hoje
É natural pensar em um fim
Mas é questionável um detalhe,
Será o fim o nosso começo?
Ou apenas o início do adeus?
Não preciso de sua dúvida agora
Apenas responda meu “sim” com um beijo.

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

PENHASCO



Todas as previsões estavam corretas
Todos os amigos disseram o mesmo
Todo o meu intimo relutava reconhecer
Aquilo que a minha sorte já havia avisado

Este é o momento da passagem
Precisou que tudo aqui morresse
Para que eu resolvesse renascer
Distante de todos que me impediam
Eu acordarei preparado para o novo

Sou apenas um pedaço de mim mesmo
Que está lutando para não ser esquecido
No meio desse deserto de sentimentos

E antes que eu vá embora com as minhas dores
Precisarei ser forte o bastante para resistir
Impedindo que a frieza habite a minha alma
Serei obrigado a conviver com toda esta falta

Em silêncio,
E sozinho...

Serei a minha própria fortaleza
À beira de um grande penhasco.

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

AMNÉSIA



O sentimento que brota do meu peito
Escorre pelos meus olhos em lágrimas
Foram dias de uma tristeza incomum
Algo que eu nunca havia sentido antes

Estive ao lado de um amor verdadeiro
Que ficou confuso pelos meus erros
Estive pensando o que poderia fazer
Mas todo o desfecho já estava feito
Minuciosamente ensaiado...

Não adiantavam mais palavras
Não existia uma máquina do tempo
Não era possível reverter o processo
Não havia mais nada pela frente...

O amor precisava ser superado!

De todas as lembranças do passado
Você talvez seja a mais bonita
E é por isso que preciso te matar
Arrancar-te do meu peito machucado
Apagando qualquer resquício da mente
Como em uma espécie de amnésia
Você deixará de existir para mim.

domingo, 16 de outubro de 2011

Fones de Ouvido



Fones de ouvido...
Uma nova canção...
Uma viagem distante,
Para dentro de mim mesmo.

Escuto o toque do piano,
Calibrando meus sentidos,
Ele reflete os meus sonhos.
Ele reflete a minha dor.
Ele parece me descrever,
Suavemente...

Larguei dos livros acadêmicos,
Desisti de um futuro previsível,
Corri em direção ao nada,
Perdi-me em estradas vazias,
E acabei voltado ao início...

Não me deixes solitário,
Ou precisarei dizer adeus,
Novamente...
E só mais uma vez...
Até que eu me canse de tentar.

Pois eu sou isto que vê:
Sou um resultado alterado,
Sou um sentimento com pernas,
Sou bem mais do que imaginas...

Estou apenas perdido,
Com os meus fones de ouvido,
E esta nova canção.

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

SEM DIVISÕES



Por instantes me senti completo,
Neste momento sinto-me em falta,
Estive andando pelo seu penar,
Fantasiando uma história de amor.

Faça de mim o seu refúgio,
Deixe-me sentir o seu coração,
Renda-se aos meus encantos,
E não desista de me fazer feliz.

Se tudo fosse uma só verdade,
Seria verdade o meu amor por ti,
Se tudo que eu te dou fosse o bastante,
Seria eu, o bastante em sua vida.

Mas existem outras bocas a conhecer,
Existem outros corpos a se explorar,
Em orgias criadas em sua cabeça,
Eu sou apenas uma parte da fantasia.

Para quê dividir o nosso amor?
Não vejo o sexo com os seus olhos,
Sou tradicional no que digo sentir,
Sou emocional no que finjo aceitar.

Apenas decida o que você deve amar,
Sem divisões...
Sem arrependimentos...

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Punhal do Silêncio




Sinto o punhal do silêncio em meu peito
Torturando cada músculo meu, que batia
Ele mata a esperança sem nenhuma pressa
E faz de minha respiração uma dor constante

Por que me deixas tão solitário?

Estive pensando sobre as suas dúvidas
O seu não saber tortura minha constância
Porque eu sempre quero o seu melhor
Enquanto você se aquece de ilusões

Será que eu deveria desistir agora?

Não consigo viver de migalhas
Quando se ama é preciso paixão
Pois de nada adianta este sentir calmo
Se há chamas inapagáveis dentro de mim.

quinta-feira, 21 de julho de 2011

JÁ SEI O QUE QUERO



Ultrapasse as barreiras do meu coração,
Faça do meu passado uma bobagem,
Encontre o meu lado mais despudorado,
E corra para os lençóis do meu prazer,
Mas não pare, nunca pare de me amar.

Avistamos-nos em uma noite de farras,
Havia música alta e hormônios alcoolizados,
Mas não se engane quanto ao meu valor,
Não funciono à base do seu cartão sem limites,
Ele nunca poderá pagar a minha atenção.

Pegue a sua fama e jogue-a ao vento,
Quem precisa de fãs quando se tem amores?
Não sou do tipo que se abala com aplausos,
Ao menos que seja pelo meu talento,
Que um dia mostrarei a você... A sós.

Viva a sua vida de inconseqüências,
E aproveite bem as doses de libidinagens,
Mas esqueça do meu número no fim da noite,
Não faço o perfil de quem espera deitado,
Já sei bem o que quero para minha vida!

sexta-feira, 24 de junho de 2011

EU, DESCONEXO.



Eu até entendo que ninguém aceite,
Ser inconstante é uma forma de defesa,
Ando perdido pelo caminho dos práticos,
Estou em busca de um eu desconhecido,
Que reluta por uma espécie de sentido,
Ele se vê encurralado por sonhos incomuns,
De alguém que espera um pouco mais da vida.

Hoje parei para pensar no tempo,
Ele é apressado quando se está feliz,
Parece eterno perante uma angústia,
Precisamos dele para esquecer uma falta,
E o matamos com coisas sem significado.

Por que eu gosto tanto de canções melancólicas?

Um dia eu posso encontrar a solução,
Para aquilo que chamamos de vazio,
Será uma confusa transição de sentidos,
Uma nova forma de renascimento,
Na tentativa de buscar maturidade,
Encontrarei um novo ponto de equilíbrio,
Farei uma reverência aos que já tentaram,
E novamente sentirei um pouco de esperança.

quarta-feira, 22 de junho de 2011

CHEGA DE HIPOCRISIA



Coberto por um espesso azul celestial
Olho-me aos panos de limpeza
Camuflado de falsas esperanças
Tentando de algum modo apagar
Aquilo que está embaixo da pele
Como se fosse uma espécie de pecado

Maldita seja a comarca desta peleja
Pois como se pode julgar o amor?
Se nada mais faço do que amar
Amar com loucura aquilo que desejo
Já não pode ser um ato de covardia

Está na cara que eu não sou o único
Quem deveria temer algo coletivo?
Enquanto a sociedade diz que não
A nova geração grita que sim

Chega de limites para a liberdade!

Na realidade banal de todos os séculos
Existe a hipocrisia dos que se dizem sãos
Eles criam um pecado de algo natural
Mas sempre se esquecem de se olhar no espelho.

terça-feira, 14 de junho de 2011

PRECISO DE VOCÊ


Preciso do seu abraço antes de dormir
Em seus olhos quero encontrar minha paz
Hoje fiquei tão triste que só você me entenderia
Porque o mundo está me deixando cansado
E eu não sei mais como sair deste lugar

Preciso me achar em cada novo amanhecer
Caminhar de mãos dadas é o que espero
Porque sozinho não consigo nem mesmo lutar
Eu simplesmente sinto vontade de morrer
Como se o meu mundo fosse apenas uma mentira

Você poderá me trazer um novo sorriso
Em momentos simples que ficarão na memória
Depois de tantos sentimentos solitários
Eu terei finalmente alguém para amar
E talvez tudo volte a fazer algum sentido

Se o destino resolver unir nossos caminhos
Espero não sentir medo de me render a você
E que eu não machuque o seu coração por descuido
Equivocado pela minha falta de felicidade
Embaraçado com minhas manias de solteiro

Que eu possa te oferecer colo nos momentos difíceis
Para que você sinta o calor das minhas emoções
E que eu veja em você um novo recomeço
Deixando para trás toda a falta de esperança  
De um simples romântico contido pelas suas dores.

domingo, 12 de junho de 2011

EU AMEI - EU AMO - EU AMAREI



Eu amo você mais que tudo no momento
Você é o meu novo pôr-do-sol de verão
Era a desculpa que me faltava para ser feliz
E eu vou te amar para sempre até que tudo se acabe

Um dia quando você estiver ficando triste
Vai saber que é só gritar meu nome e tudo mudará
Vamos ficar juntinhos e aquecidos em qualquer inverno
Você será a minha noite estrelada mais bonita

Mas eu sei que um dia você vai me trair
Assim como acontece em todos os casos
Vou sentir as lágrimas e o ódio nascerem de mim
Porque eu doei tudo de bom que me restava
Na esperança de que fosse ser verdadeiro

Um dia eu vou cansar de viver tantas mágoas
E realmente vou pensar se vale a pena arriscar
Pois a frieza vai se acumulando em cada relação
Até que eu me transforme no motivo do meu ódio
Passando a fazer o seu papel em meu novo romance

Voltarei a ficar decepcionado por várias vezes
Porque eu sei que no fundo não há como fugir
Por mais frio que o coração possa ficar
Ninguém consegue dizer não a melhor sensação da vida: AMAR


sexta-feira, 10 de junho de 2011

VOCÊ JÁ PROVOU?


Você já provou da maçã do pecado?
Qual deverá ser o segredo dela afinal?
Será que fomos punidos pelos deuses?
Ou é apenas mais um dia sombrio?

Sim, eu sei o gosto da fruta vermelha
Ela me dá vontade de fazer loucuras
Os deuses odeiam quando eu a mordo
Fazendo do meu pós dia algo tenebroso

Será que existe algum antídoto?
Ou é apenas relaxar para curtir o vício?
Existirá o tempo de sublimar a dependência?
Ou esse é um caminho sem volta?

Quem nasceu para a luxúria não tarda
Fugir de sua natureza seria suicídio
Mas há os que conseguem se enganar
Cultivando mentiras em um espelho quebrado

Um dia eu parei de ser “político”
Hoje pratico a auto-sinceridade.

quarta-feira, 8 de junho de 2011

SEM LÁGRIMAS




Sinto falta do vento frio congelando meu nariz
Das pessoas exóticas que encontrava pela avenida
Dos sonhos que eu pude sonhar enquanto caminhava
De todas as luzes brilhantes que meus olhos podiam ver

Sinto falta da cor vibrante do natal passado
Do modo de vida incomum que eu pude levar
Dos momentos lúcidos de liberdade gratuita  
De estar no caminho certo mesmo sem saber a direção

Sinto mais falta de mim mesmo afinal
Do abismo que eram minhas emoções
Dos batimentos cardíacos acelerados
De me sentir como uma criança descobrindo o mundo

Sei que não há formulas para o que desejo
Vai além de qualquer explicação que eu possa dar
É um misto de liberdade e realização pessoal
É o não perder a esperança nos meus sonhos
É o viver cada dia como se fosse o único
Sem precisar de lágrimas para ser intenso.